05 junho 2016

Quadrinize sua experiência: três ferramentas para produzir história em quadrinhos


Eu faço parte daquela geração que deixava de lanchar na escola para investir o dinheiro do lanche nos gibis da Turma da Mônica. Também li muitos outros quadrinhos, de Drácula a X-Men. Sim! Sou eclética. Esses últimos eu lia por indicação dos meus irmãos mais velhos que até hoje consomem HQs. Mas, foram os quadrinhos da Turma da Mônica que fizeram com que eu pudesse ter contato pela primeira vez com inúmeras questões da vida.

O universo dos quadrinhos é gigante e poderoso. Através deles podemos abrir espaço para múltiplas abordagens que nos levam a aprender através da leitura e da imersão. Ok! Falando assim parece ser a mesma coisa dos livros da escola, mas não é. A diferença das HQs está na linguagem que é milhões de vezes mais divertida. E não se trata apenas do fato de haver imagens. Toda a estrutura das histórias em quadrinhos é envolvente porque a narrativa é acessível, na maioria das vezes curta e simples. Muito diferente dos livros escolares que são longos e possuem uma linguagem mais "dura". Mesmo que se tente trabalhar uma linguagem mais descolada, ela às vezes nos soa como fake ou forçada nos livros didáticos.

Na minha opinião a magia dos quadrinhos é justamente fazer o escritor sair do seu lugar. Nos quadrinhos ele pode ser quantos personagens quiser, em diferentes lugares, com diferentes linguagens e formas de pensar. E isso amplia a capacidade de criar. Não é à toa que em diversos processos de planejamento de estratégias a história em quadrinhos está lá presente para facilitar as coisas. Storyboards, que nada mais são do que HQs em estilo rascunho, estão presentes no planejamento de jogos, filmes, teatro, eventos e mesmo em planos de aula, por quê não?

Na web há diversas ferramentas que auxiliam a produção de HQs. Esses recursos podem ser muito úteis tanto para o professor que deseja envolver seus alunos em uma experiência de aprendizagem como para os alunos na elaboração dos seus projetos dentro ou fora da escola. A seguir deixo a indicação de três boas ferramentas que já testei e por isso mesmo indico sem medo.

App PicSay 


Selfie by +Karla Vidal. Clique para ampliar.

O aplicativo PicSay é leve, rápido e simples. A versão lite é gratuita e existe uma opção pro que custa R$ 3,99. Ele permite que você adicione balões de fala, stickers e diferentes formas geométricas sobre qualquer imagem presente na biblioteca do seu celular. É muito utilizado para decorar fotografias e selfies, mas é também uma poderosa ferramenta para estimular a produção de uma HQ, desenvolvendo quadro a quadro, ou até mesmo uma fotonovela. Por ser extremamente simples é um dos apps que mais estimula a criatividade, como no exemplo acima feito a partir de um selfie rápido. Disponível para Android. Quem usa iPhone pode testar o PicsArt Photo Studio que é um editor de imagem bem mais robusto e que também faz a mesma coisa.

Toondoo


Tirinha by +Karla Vidal. Clique para ampliar.

O Toondoo já é bem mais elaborado. Disponível em versão para desktop, para utiliza-lo é necessário criar uma conta, realizar login e ir até o menu Tools na opção Toondoo Maker. Nele dá pra escolher o layout da página, os tipos de personagens, suas emoções, balões de fala e diversos outros elementos gráficos. No exemplo acima brinquei com a cultura dos seriados, mas você e seus alunos podem brincar com situações históricas, com física, linguagem ou qualquer outro tipo de assunto. Ao final é possível salvar a imagem, imprimir e compartilhar nas redes. Dica: atualize o player do Flash do seu navegador para não se irritar com travamentos. Funciona melhor no navegador Chrome.

StoryboardtThat

Tirinha by +Karla Vidal. Clique para ampliar.

O StoryboardtThat tem um visual menos atrativo e algumas restrições na posição dos personagens, mas também é um bom recurso para produção de tirinhas e páginas completas. Os personagens estão sempre virados para o leitor o que dificulta pensar a interação entre eles no quadro.

Nessa ferramenta há opções para layout da página, balões de fala, planos de fundo e outros recursos. O legal é que os personagens e planos de fundo estão separados por períodos históricos. Há, por exemplo, personagens da era medieval, da mitologia grega, da era clássica e muitos outros. A conta gratuita permite criar dois storyboards por semana, um dado importante para o planejamento semanal das atividades.

De forma gratuita é possível imprimir, fazer um slideshow online ou compartilhar nas redes. Para salvar a história produzida em um arquivo como PNG e Powerpoint será adicionada uma marca d'água bem exagerada que atrapalha a leitura dos quadrinhos. A dica que dou é escolher a opção para imprimir sua história e nas opções de impressão tentar gerar um PDF. Assim você terá sua página gratuita sem marcas d'água. Funciona melhor no navegador Chrome. Também é possível usar a função "salvar imagem como", no menu de contexto (botão direito do mouse), para salvar um arquivo de imagem sem marca d'água em seu computador.

Espero que as dicas tenham sido úteis. Até a próxima!